ARISTIDES GOMES SUSPENDE VIAGENS DOS GOVERNANTES GUINEENSES AO EXTERIOR

O Primeiro-ministro, Aristides Gomes suspendeu todas as “viagens que acarretam custos ao tesouro público”. A decisão do Chefe do Executivo vem expressa num despacho governamental datado de 14 de Maio 2018 a que a redação do semanário O Democrata teve acesso.

De acordo o mesmo despacho, há exceções, ou seja, serão autorizadas as viagens tangentes às missões do processo eleitoral, porque “a tarefa principal do atual Governo é de organizar as próximas eleições legislativas de 18 de Novembro”, justifica.

Também, o despacho ressalva que, como alternativa, algumas missões importantes ao estrangeiro passarão a ser asseguradas pelas Embaixadas da Guiné-Bissau no exterior, mediante um mandato específico com plenos poderes emitido por Aristides Gomes.

O Chefe do Executivo guineense justifica a medida de suspensão das viagens com base na situação atual das Finanças Públicas, assim como da necessidade do cumprimento do programa acordado com o Fundo Monetário Internacional (FMI), relativamente à gestão orçamental. Reforça ainda que esta medida restringe viagens na classe executiva. “Só é permitido viajar na classe executiva os titulares dos órgãos da Soberania, membros do Governo e equiparados”.

Aristides Gomes sustenta ainda no despacho que, a medida vem no âmbito da moralização das Finanças Públicas, baseado no controlo e contenção das despesas.

Recorde-se que o novo Primeiro-ministro de consenso determinou, no passado dia 9 de maio, a suspensão da movimentação das contas das empresas públicas, fundos autónomos e organismos autónomos, sujeitando-os a cotitularidade do tesouro público.

 

Por: Sene Camará

5 comments

  1. ANÍBAL disse:

    E os salários e subsídios chorudos?!

  2. Pereira Pedro disse:

    Era objectivo deste gouverno ficar no pais e tratar o problema do pais năo por vhagem fora que regula o problema de Guine. esperamos que văo comprir. Obrigado

  3. Ude Fati disse:

    Espero que continue e seja efectiva e para os goveenis que sucedem. Os governantes precisam mostrar um alinhamento com a situação geral do oaís e da sua população que é a pobreza.

  4. Alfredo Augusto Lima disse:

    As medidas são justas e necessárias para garantir a tranquilidade na gestão pública. Não precisa fazer muito esforço intelectual para concluir que o perdia muito com essas viagens. parabéns!

  5. Tomara que seja assim sempre. Deve haver luz no fim do túnel!
    Corrupção, não merecemos!
    Sou Mbana Ntchigna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa