MINISTÉRIO DAS PESCAS VAI IMPLEMENTAR O PERÍODO DE REPOUSO BIOLÓGICO NAS ÁGUAS DA GUINÉ-BISSAU

O Ministério das Pescas, através do Centro de Investigação de Pesca Aplicada (CIPA), anunciou a implementação do período de repouso biológico nas águas da Guiné-Bissau a partir do mês de janeiro de 2021, sendo momento importante para dar oportunidade aos peixes a se reproduzirem e crescerem. 

O anúncio foi feito esta quinta-feira, 13 de agosto de 2020, pelo Conselheiro do Ministro das Pescas para a mesma Área, Hugo Nosiline Vieira, no encerramento da sessão de sensibilização dos atores ligado ao setor pesqueiro, nomeadamente armadores, pescadores, parceiros internacionais e mulheres vendedeiras do pescado. A sensibilização decorreu no ministério das pescas em Bissau.

Na ocasião, Nosiline Vieira disse que o CIPA apontou o mês de janeiro próximo para ser o período da implementação de repouso biológico nas águas do país, apenas para a pesca industrial, porque é o momento em que maioria das espécies mais importantes busca as zonas costeiras para reproduzir.

O Conselheiro do Ministro das Pescas informou que o setor pesqueiro tem uma contribuição importante no orçamento geral de Estado e na economia nacional, adiantando que, após esta sessão de sensibilização, o ministério pretende organizar um colóquio, onde todos os atores que participam direta ou indiretamente no setor das pescas irão dar às suas contribuições para a implementação do período de repouso.

Por sua vez, o diretor Geral do CIPA, Zeramias (Jeremias) Francisco Intchama, assegurou que o encontro visa sensibilizar todos os atores que pescam nas águas da Guiné-Bissau sobre a implementação do período de repouso biológico e adiantou ainda que existe um documento elaborado em 2017 que será submetido ao Ministro das Pescas com o objetivo de fazer uma paragem biológica, depois dessa sessão de sensibilização.

Zeramias Francisco Intchama informou que o período de repouso biológico será implementado apenas na pesca industrial, porque a pesca artesanal está muito avançada nessa matéria e que só falta a harmonização dos documentos da paragem biológica nas águas da Guiné-Bissau.

Por fim, o Presidente da Associação Nacional de Empresas de Pescas na Guiné-Bissau, Justiniano Gomes, sublinhou que a sua organização acompanhou, desde o início desse do processo o CIPA, seguiu toda a evolução, sobretudo no que diz respeito ao período de repouso biológico, acrescentando que a associação concorda plenamente com a iniciativa e prometeu o seu engajamento na implementação do projeto para o bem do país, a semelhança de outros países do mundo.


Por: Aguinaldo Ampa

Foto: A.A  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa