Cabo Verde: MpD GANHA ELEIÇÕES E ULISSES RENOVA MANDATO COMO PRIMEIRO-MINISTRO

O Movimento para a Democracia (MpD), no poder em Cabo Verde, venceu as eleições legislativas deste domingo, 18 de abril de 2021 e Ulisses Correia e Silva será reconduzido a um segundo mandato como primeiro-ministro.

No momento em que estão apurados os resultados de 97,2 por cento das mesas, faltando apenas os círculos das Américas e Europa e Resto do Mundo, onde os principais partidos conquistam um deputado cada, o MpD deve eleger 38 deputados (49,1 por cento), o PAICV, 30, (38,1) e a UCID, 4 (8,9).

Apesar da vitória por maioria absoluta, o partido liderado por Correia e Silva perdeu um deputado em relação à legislatura anterior, o PAICV ganhou um e a UCID conquistou mais um lugar no Parlamento.

A abstenção, de acordo com dados provisórios, ronda os 42 por cento. Em termos absolutos, 221.161 pessoas exerceram o seu direito de voto, enquanto 160.174 não votaram e foram registados como nulos 3.019 votos e 2.432 brancos.

Correia e Silva destaca “justeza” no resultado

Cerca de três horas após o fecho das urnas e minutos depois da confirmação da vitória, o líder do MpD e primeiro-ministro considerou que “foi uma grande vitória, a vitória de Cabo Verde e já estávamos à espera”.

Perante centenas de apoiantes que festejavam a vitória na sede do partido na cidade da Praia, Ulisses Correia e Silva justificou o resultado com a boa campanha feita.

“Porque fizemos uma boa campanha, um bom combate e conseguimos convencer os cabo-verdianos da justeza daquilo que foi o percurso da governação, uma situação muito difícil e da justeza das nossas propostas para o futuro”, sublinhou Correia e Silva quem reiterou a sua promessa de vacinar 70 por cento da população neste ano e, durante o mandato, eliminar a pobreza e retomar o crescimento da economia.

Ele lembrou que o ano foi “muito difícil e de pandemia”, mas o seu Governo conseguiu “dar a volta” com “o bom trabalho” realizado.

A oposição também foi alvo das primeiras palavras do primeiro-ministro, que a chamou de “pouco contributiva” e “negacionista”.

“Fizeram da política uma forma de ataque não ao Governo, mas ao país, com uma política de terra queimada”, afirmou Correia e Silva que pediu “uma oposição forte, responsável e com sentido de Estado”.

Líder do PAICV anuncia a sua demissão

Antes do discurso da vitória de Correia e Silva, a presidente do PAICV, principal partido da oposição, Janira Hopffer Almada, anunciou que vai apresentar a sua demissão do cargo.

“Para mim a política não pode ser encarada como profissão, nem como uma carreira. Retiro consequências políticas dos resultados das eleições, por isso, nos próximos dias, apresentarei a minha demissão como presidente do PAICV aos órgãos do partido”, afirmou Hopffer Almada quem disse “ respeitar as decisões” do povo.

“O povo é sempre soberano. Escolheram um Governo que não estava a colocar os interesses de Cabo Verde em primeiro lugar, mas mesmo assim temos de respeitar a vontade do povo”, acrescentou, depois de felicitar Ulisses Correia e Silva e desejar “bons tempos” ao país”.

Recorda-se que quase 393 mil eleitores cabo-verdianos foram chamados  no domingo às urnas para estas sétimas eleições legislativas de Cabo Verde. Nestas eleições foram escolhidos para um mandato de cinco anos 72 deputados, dois dos quais pelo círculo de África, dois pelo círculo da América e dois pelo círculo da Europa e resto do mundo.

Cabo Verde conta com uma população de cerca de 550 mil pessoas, mas estima-se que a comunidade cabo-verdiana na diáspora ultrapasse o milhão.


Por: Redação

O Democrata/Voz de America 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa