Covid-19 : ALTA COMISSÁRIA QUER DEBATE PÚBLICO PARA EXPLICAR DESTINO DE APOIOS

A Alta Comissária contra a covid-19 na Guiné-Bissau, Magda Robalo, desafiou as organizações da sociedade civil a organizarem um fórum público que explique as origens e o destino dos fundos que tem recebido de parceiros do país.

Organizações da sociedade civil têm criticado a gestão dos fundos e instaram o Tribunal de Contas a fazer uma auditoria ao exercício do Alto Comissariado contra a covid-19.

Em resposta à Lusa, a médica Magda Robalo lamenta na sexta-feira, 27 de agosto de 2021, as críticas e afirma estar disponível para um esclarecimento público.

“Sei que é preocupação da população sobre o que tem sido feito com os apoios que chegam ao Alto Comissariado. Infelizmente, tem havido muita especulação, calúnia e difamação em relação à minha pessoa, em relação aos materiais e fundos doados pelos parceiros”, disse Robalo.

“Desafio as organizações da sociedade civil a se ocuparem da organização de um fórum para que possa pôr a limpo a situação da gestão”, acrescentou a médica formada em Portugal.

Em relação à auditoria às contas do Alto Comissariado exigida por um grupo de organizações da sociedade civil, Magda Robalo disse estar de “braços abertos” a qualquer exercício desse tipo tanto a nível interno como externo.

“Alto Comissariado tem livros abertos ou suas portas abertas a qualquer iniciativa que vise fazer uma auditoria às suas contas, bem como a gestão que faz dos apoios tanto materiais como financeiros que recebe”, disse a responsável pelo combate à covid-19.

Magda Robalo realçou que a cada três meses apresenta um relatório detalhado de despesas ao ministério das Finanças que, neste momento, tem em curso uma auditoria às contas do Alto Comissariado.

“Enviamos as cópias do nosso relatório ao Tribunal de Contas, à Presidência da República, ao Governo e se não estou em erro, também à Assembleia Nacional Popular” afirmou para acrescentar ainda que os relatórios de contas também são publicados no sítio de internet da organização.

In lusa

1 comentário

  1. Espero que os Guineenses devem fazer parte de uma sociedade que por algum motivo queira contribuir para uma vida melhor, onde a paz e tranquilidade reina .
    Em vez de tentar atirar as pedras para onde nao devemos atirar… estamos a lidar com uma nova variante do virus da COVID-19 e seria muito bom estarmos preparados para o que der e vier, em vez de fazermos a politica onde nao deveriamos.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.