Covid-19: ALTA COMISSÁRIA ADMITE RETOMA DA PRÁTICA DE DESPORTO COLETIVO NA GUINÉ-BISSAU

A Alta Comissária de Luta contra a Covid-19 na Guiné-Bissau, Magda Robalo Silva, admitiu hoje a possibilidade da retoma de práticas de desporto coletivo em todo o território nacional, devido a redução de casos de infeções no país nas últimas semanas.

“Qualquer decreto pode ser sempre revogado antes do tempo ou prolongado, tudo depende da evolução da doença. Nós tivemos por duas vezes decretos do Estado de Calamidade, revistos antes do fim do seu período, porque o contexto o exigia”, disse.

“Foi preciso reforçar as medidas, foi preciso apertar, mas foi possível também relaxar. Nada, nada é definitivo  e nada é estático, depende da evolução da situação”, afirmou Magda Robalo.

Robalo falava à secção desportiva do Jornal O Democrata, após atualização semanal do boletim clínico da pandemia na Guiné-Bissau, que decorreu no Centro Cultural Português, em Bissau.

Desde julho último que o executivo proibiu todas as práticas de desporto coletivo, devido ao aumento dos casos de infeções na terceira vaga de covid-19.

De acordo com o decreto divulgado à imprensa, foram proibidos os campeonatos e demais atividades desportivas suscetíveis de provocar aglomerações de pessoas, com exceção  das equipas envolvidas nas competições internacionais.

No caso do não cumprimento dessas medidas previu-se a aplicação de coimas no valor de 200.000 francos CFA para o clube ou equipa participante e 600.000 francos CFA para entidade organizadora ou promotores.

Na opinião dos comentadores desportivos nacionais, a decisão do executivo poderia comprometer a abertura do ano desportivo no país, nomeadamente o início do campeonato nacional de futebol previsto para o mês de outubro do ano em curso.

De recordar que o presidente da Federação de Futebol da Guiné-Bissau (FFGB), Carlos Mendes Teixeira, anunciou que a nova época desportiva 2021/2022 terá o seu início a  22 de outubro, com jogo da supertaça entre o Sporting clube da Guiné-Bissau e o Sport Benfica de Bissau.

Na sequência do decreto presidencial, todas as federações suspenderam as suas atividades desportivas e aguardam pela  a decisão das autoridades nacionais.

Por: Alison Cabral

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.