Malária ainda afecta mais de 46 mil crianças menores de 5 anos na Guiné-Bissau

BISSAU, 25 de Abril de 2014 – Graças à ação global concertada e ao investimento, a
luta contra a malária tem mostrado resultados positivos a nivel global, salvando milhões de
vidas em todo o mundo. Desde o ano 2000, a taxa de mortalidade da malária entre crianças
foi reduzida para metade, resultando em mais de 3,3 milhões de vidas salvas. Quatro países
foram recentemente certificados como livres da malária, e 26 dos 104 países restantes
afectados pela malária estão a trabalhar para eliminar a doença completamente.
Este progresso resulta do trabalho em conjunto de países endémicos, doadores,
organizações e comunidades no aumento do acesso à prevenção contra a malária, ao
diagnóstico e ao tratamento para centenas de milhões de pessoas.
Não obstante este progresso, a malária continua a ser um risco para a saúde de metade da
população do mundo, sendo as criancas e mulheres gravidas os mais afectados. Em todo o
mundo, cerca de 627,000 pessoas morreram de malária em 2012 – um indicador inaceitável
considerando que a malária pode ser evitada e tratada. Acima de 80% dos óbitos por
malária ocorrem na Africa Sub-Sahariana, e envolvem crianças abaixo dos cinco anos de
idade.
Na Guiné-Bissau, segundo o Relatório anual do Programa Nacional de Luta Contra o
Paludismo do Instituto Nacional de Saúde (INASA), em 2013 foram identificados 125, 224
casos de malária na Guiné-Bissau, tendo 396 resultado em óbito. As crianças menores de 5
anos constituem 37% do total, ou seja 46,209 casos com uma taxa de letalidade de 0,4%,
equivalente a 191 crianças.
O investimento no combate à malária deve por isso ser reforçado no país. Menos malária
significa menos mortalidade infantil e materna, menor número de ausencias à escola e ao
trabalho, comunidades mais produtivas e as economias mais fortes. É fundamental reforçar a
parceria, assim como o investimento, a inovação e a vontade política, desenvolvendo novas soluções
e estratégias na luta contra a malária, incluindo medicamentos de última geração, diagnósticos e
vacinas para acelerar ainda mais o progresso e mitigar a ameaça da resistência aos medicamentos e
inseticidas.
Até 2015, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) comprometeu-se a colaborar com os
paises para reduzir a morbilidade e mortalidade por malária em 75%, comparativamente a 2005;
assim como, de uma forma geral, a apoiar no alcance das Metas de Desenvolvimento do Milénio
relativas à malária e atingir uma cobertura universal e equitativa através de intervenções efectivas,
com enfoque para a prevenção.
juntos pelas
crianças Ao se comemorar o Dia Internacional de Luta contra a Malaria, a comunidade global deve declarar a
morte por picada de mosquito inaceitável, e encetar esforços para impedir esse mal.

Para mais informações e envio de documentação, o favor de contactar:
Sofia de Almeida / Venício de Carvalho
Dep.Communication
UNICEF: Telefone: 20 35 81 Telm. 659 86 66/6747124 _____________________________________
Acerca da UNICEF
O UNICEF está no terreno em mais de 150 países e territórios para ajudar as crianças a sobreviver e a desenvolver-se, desde os
primeiros anos de vida e ao longo da adolescência. O UNICEF, que é o maior fornecedor de vacinas dos países em desenvolvimento,
apoia a saúde e nutrição infantil, o acesso a água potável e saneamento, uma educação básica de qualidade para todos, rapazes e
raparigas, e a protecção das crianças contra a violência, a exploração e a SIDA. O UNICEF é inteiramente financiada por contribuições
voluntárias de particulares, empresas, fundações e governos.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.