Oceanografia: GOVERNO QUER IDENTIFICAR QUANTIDADE E QUALIDADE DO PESCADO NO MAR DA GUINÉ-BISSAU

O ministro de Conselho de Ministros, Assuntos Parlamentares e Porta-voz do governo revelou que um navio oceanográfico espanhol denominado “VIZCONDE DE EZA” está no país para fazer investigação científica e avaliar as principais espécies do pescado (peixes, crustáceos e cefalópodes) nas águas territoriais da Guiné-Bissau. O navio está no país no âmbito de cooperação entre Ministério das Pescas guineense e o Instituto Espanhol de Oceanografia. 

Depois da visita realizada nesta quarta-feira, 20 de novembro de 2019, ao navio espanhol atracado no Cais de Pindjiquiti, Armando Mango criticou o fato de o país estar a explorar seus recursos haliêuticos sem saber quantidade e que tipo de espécies tem no seu mar e como esses recursos devem ser explorados para beneficiar a geração vindoura.

O governante que estava ladeado de técnicos do Ministério das Pescas e equipa espanhola ligada ao navio, informou que o executivo liderado por Aristides Gomes, em colaboração com a União Europeia, decidiu trazer este navio espanhol ao país para ter dados científicos sobre a quantidade e espécies do pescado que o mar guineense tem. Neste sentido, assegurou que os técnicos guineenses vão fazer parte da equipa espanhola que irá efetuar investigação científica nas águas guineenses durante 17 dias.

“Para que não fiquemos a depender apenas da cooperação estrangeira”, sublinhou Armando Mango em declaração aos jornalistas.

Por sua vez, a embaixadora da União Europeia no país, Sonia Neto, alertou que os resultados desta campanha e os trabalhos do Centro de Investigação Científica Pesqueira Aplicada (CIPA), serão cruciais para a Guiné-Bissau, uma vez que deverão assegurar a produção sustentável dos recursos haliêuticos distribuídos nas águas guineenses. 

Dados a que O Democrata teve acesso indicam que a iniciativa é financiada pela União Europeia, através do apoio setorial ao acordo das pescas que representa um total de 4 milhões de euros por ano. Este montante, segundo as estatísticas das pescas, é dedicado ao reforço das políticas das pescas no país.

Em reação a essa parceria de cooperação entre Ministério das Pescas guineense e o Instituto Espanhol de Oceanografia, o secretário da embaixada de Espanha no país, João Manuel Lopes Urdiales, assegurou estar convencido que os marinheiros científicos espanhóis vão trabalhar juntamente com os técnicos guineenses e terão resultados interessantes que irão ajudar os cidadãos guineenses a conhecerem, realmente, qual é o verdadeiro estado dos seus recursos haliêuticos distribuídos nas águas da Guiné-Bissau.

Por: Aguinaldo Ampa

Foto: A.A

One comment

  1. Melo Fernandes Da Costa disse:

    Perfeito España!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa